Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 14, de 20.12.2016. Dispõe sobre o percentual a ser aplicado sobre a receita bruta para determinação da base de cálculo do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líqu

IRPF-2017 Receita Federal divulga cronograma
11 de janeiro de 2017
Instrução Normativa RE nº 71, de 23.12.2016
13 de janeiro de 2017

Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 14, de 20.12.2016. Dispõe sobre o percentual a ser aplicado sobre a receita bruta para determinação da base de cálculo do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líqu

Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 14, de 20.12.2016
– DOU de 22.12.2016 –
Dispõe sobre o percentual a ser aplicado sobre a receita bruta para determinação da base de cálculo do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido para as pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido nas operações de recapeamento e reforma de pneumáticos usados mediante encomenda de terceiros.
O Secretário da Receita Federal do Brasil, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e XXVI do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no caput do art. 15 da Lei nº 9.249, de 26 de dezembro de 1995, nos arts. 518 e 519 do Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999 – Regulamento do Imposto sobre a Renda (RIR/99), nos arts. 4º, 5º e 7º do Decreto nº 7.212, de 15 de junho de 2010 – Regulamento do IPI, no Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 26, de 25 de abril de 2008, no Parecer Normativo RFB/Cosit nº 18, de 6 de setembro de 2013, e no § 3º do art. 21 da Instrução Normativa RFB nº 1.396, de 16 de setembro de 2013,
Declara:
Art. 1º Para efeitos de determinação da base de cálculo do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das pessoas jurídicas tributadas pela sistemática do Lucro Presumido, consideram-se industrialização as operações definidas no art. 4º do Decreto nº 7.212, de 15 de junho de 2010, observadas as disposições do art. 5º conjuntamente com as disposições do art. 7º do referido Decreto.
Art. 2º A receita bruta das operações de recapeamento e reforma de pneumáticos usados mediante encomenda de terceiros sujeita-se à aplicação do percentual de 32% (trinta e dois por cento) na apuração da base de cálculo do IRPJ e da CSLL das pessoas jurídicas tributadas pela sistemática do Lucro Presumido, quando as operações não forem consideradas como operações de industrialização, especialmente nas seguintes hipóteses:
I – quando as operações forem executadas por encomenda direta do consumidor ou usuário, em oficina ou residência, com preponderância do trabalho profissional, conforme definido no art. 7º do Decreto nº 7.212, de 2010; e
II – quando as operações forem executadas por encomenda de terceiros não estabelecidos com o comércio de tais produtos.
Art. 3º Os percentuais de presunção de que trata o art. 2º serão de 8% (oito por cento) e 12% (doze por cento), respectivamente para o IRPJ e para a CSLL, para as operações consideradas como de industrialização, especialmente na hipótese de o encomendante ser estabelecido com o comércio de pneumático usado recapeado e reformado.
Art. 4º Ficam modificadas as conclusões em contrário constantes em Soluções de Consulta ou em Soluções de Divergência emitidas antes da publicação deste Ato Declaratório Interpretativo, independentemente de comunicação aos consulentes.

JORGE ANTONIO DEHER RACHID Fonte: RFB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Solicite seu Diagnóstico